Guarapari

Guarapari é um município brasileiro do estado do Espírito Santo localizado na região homônima. Sua população estimada em 2016 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística era de 121 506 habitantes. A sua distância até Vitória é de 51 quilômetros; e até Brasília, 1264 quilômetros.

O Nome “Guarapari”

O topônimo “Guarapari” é de origem indígena onde “Guara” se refere à ave de pelagem vermelha Guará, e “parim” se refere à arma utilizada pelos povos indígenas locais para a caça do animal, que era muito comum na região. Com o tempo, passou-se a adotar o nome “Guarapari” no lugar de “Guaraparim”, pois o primeiro era mais utilizado.

História de Guarapari

Por volta do ano 1000, os índios que ocupavam o litoral sul do atual estado do Espírito Santo foram expulsos para o interior do continente devido à invasão de povos tupis procedentes da Amazônia. No século XVI, quando chegaram os primeiros exploradores europeus à região, a mesma era habitada por um desses povos tupis: os temiminós.

Em 1585, o padre jesuíta José de Anchieta fundou uma missão jesuíta para catequizar os índios da região: a aldeia do Rio Verde ou aldeia de Santa Maria de Guaraparim. A aldeia possuía um convento e uma igreja dedicada a santa Ana. Para a sua inauguração, Anchieta compôs o Auto Tupi. Em 1677, foi construída a igreja de Nossa Senhora da Conceição. Em 1679, a aldeia de Guaraparim foi elevada à categoria de vila. Em 1835, foi criada a comarca de Guarapari. Em 1860, a comarca recebeu uma visita do imperador brasileiro dom Pedro II. Em 1878, passou à condição de município. Em 1891, adquiriu o status de cidade.

No final do século XIX, colonos europeus (italianos, em sua maioria, que aportaram no Rio Benevente) se instalaram no interior do município, fundando as localidades de Todos os Santos e Rio Calçado, entre outras. A principal atividade econômica dessas famílias era o café, além do plantio que faziam para a própria subsistência. Em 1948, teve instalada a sua câmara. Em meados dos anos 1960/1970, Guarapari tornou-se nacionalmente famosa em decorrência das propriedades pretensamente medicinais de suas areias monazíticas. Por este motivo, houve uma onda turística crescente em torno da cidade de Guarapari.

Geografia de Guarapari

A cidade de Guarapari, assim como toda a região central do Espírito Santo, possui vários afloramentos graníticos e muitas enseadas e baías protegidas. A sede da cidade de Guarapari é no nível do mar, mas, graças à proximidade com a região serrana do estado, alguns distritos da cidade de Guarapari chegam a mil metros de altitude.

Clima de Guarapari

O clima da cidade de Guarapari é Tropical Atlântico. Com temperaturas normais, não apresenta grandes variações de temperatura, graças à proximidade com o litoral. Porém, em partes elevadas do município, principalmente no bairro de Buenos Aires e Distrito de Todos os Santos, apresenta temperaturas baixas no inverno por causa de sua altitude. Costuma ventar muito forte no município, tanto durante o verão quanto durante o inverno. Junto com a umidade do ar, isto faz a sensação térmica chegar a 10 graus centígrados na beira do mar, com temperaturas de 13 graus centígrados. A maior temperatura já registrada foi de 38 graus centígrados e a menor foi de 3 graus centígrados e 9 graus centígrados.

Ecologia e Meio Ambiente

Radioatividade Natural

As praias de Guarapari são famosas por possuírem um nível alto de radioatividade natural, proveniente das chamadas areias monazíticas, ricas nos elementos urânio e tório. Em alguns pontos das praias foram registradas leituras de até 20μSv/h (175 mSv por ano), uma dose equivalente à que seria recebida ao se tirar uma radiografia de tórax a cada hora. Na cidade de Guarapari os níveis de radiação são muito inferiores; um estudo realizado com 320 habitantes encontrou uma dose média de 0.6 µSv/h, ou 5.2 mSv por ano. Esse valor é cerca de 30% acima da média usual, mas ainda muito abaixo de um nível perigoso.

Parque Estadual Paulo César Vinha

Situado no extremo norte do município, na faixa litorânea, o parque possui 1 500 hectares de área, protegendo o ecossistema restinga, uma rica flora composta por orquídeas, bromélias, clúsias e outras espécies típicas de restinga. Conta com uma fauna variada: de pererecas endêmicas a saguis-da-cara-branca, cutias, jiboias, quatis, tamanduás e veados. Possui três lagoas de águas avermelhadas, mas somente uma, a Lagoa de Caraís, é aberta a visitação. O parque possui, também, duas trilhas para visitação:

Trilha da Clúsia – trilha que possibilita ao visitante um contato mais intimo com a natureza, da uma impressão que está dentre uma mata fechada.
Trilha da Restinga – uma trilha relativamente maior, com grau de dificuldade fácil. Leva o turista até a Lagoa de Caraís. Possui 1,5 quilômetros de extensão.
O parque recebeu esse nome em homenagem ao biólogo Paulo C. Vinha, assassinado cruelmente nos limites do parque enquanto fazia um levantamento fotográfico sobre líquens e fungos. Sua sede fica próxima ao bairro de Setiba, onde conta com guardas e uma estrutura básica de apoio ao turista.

Cultura e Lazer

Culinária

Dentre todos os atrativos turísticos de Guarapari, a culinária capixaba merece uma atenção especial. Dos vários pratos baseados em frutos do mar, destacam-se a moqueca capixaba, a torta capixaba, a muma de siri e a caranguejada.

Famosa internacionalmente, a moqueca capixaba é o prato mais conhecido da culinária do Espírito Santo. O nome “moqueca” designa um estilo de preparar o alimento que consiste no cozimento sem água apenas com os vegetais e frutos do mar. Ao contrário da moqueca baiana, a capixaba não leva azeite de dendê e nem leite de coco.

Logo em seguida, vem a torta capixaba, preparada com vários frutos do mar, como siri desfiado, camarão, ostra e sururu, além de bacalhau e palmito. É prato tradicionalmente consumido durante a Semana Santa em algumas casas capixabas.

Turismo

Principal cidade turística do Espírito Santo, Guarapari atrai diversos turistas do mundo inteiro graças às suas belezas naturais e às areias monazíticas (radioativas), com virtudes alegadamente terapêuticas, apesar de os benefícios no tratamento de artrite ou reumatismo não terem comprovação científica. Com mais de 30 praias e boa rede hoteleira, chega a atrair 700 000 turistas no verão, sendo que, em 1994, a cidade de Guarapari recebeu 1 500 000 turistas, enfrentando graves problemas no abastecimento de energia e água, tendo sido, no entanto, realizadas medidas que resolveram o problema.

O município possui clubes aquáticos, além de aquários, exposições marinhas, praias e passeios de mergulho.

Fonte: Wikipedia


Conheça as Praias em Guarapari…